Como vender um carro usado? 7 melhores dicas para ter sucesso nas vendas

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Não sabe como vender um carro usado? Acha que a crise pode atrapalhar sua meta de levantar um bom dinheiro? Tem gente que acredita que o momento econômico pode dificultar as vendas, quando, na verdade, é exatamente o contrário: é na crise que está o melhor período para fazer negócio com seu seminovo/usado.

A questão é que, com menos dinheiro disponível, os brasileiros deixam de olhar para o 0 km para pensar na possibilidade de resolver seu problema com um carro mais em conta (o usado).

E as últimas pesquisas sobre o tema confirmam essa tendência: de janeiro a maio de 2017, para cada carro novo financiado, dois usados foram vendidos (a venda de seminovos cresceu 25% no período, contra 12,6% do novos)!

Pois é, não está tão difícil assim fazer negócio com veículo seminovo. É tudo uma questão de entender como vender um carro usado, uma vez que existem centenas de milhares de oferta no mercado.

Você sabe os macetes de vender um veículo usado? Aqui você vai conferir, a partir de agora, as melhores dicas de sucesso sobre o tema! Confira!

1. Deixe a documentação do veículo em dia

Nem pense em colocar um anúncio se seu veículo tem uma infinidade de multas, além de IPVA e DPVAT atrasado. Por mais que você reduza o valor de venda em função de restrições, tenha a certeza de que a maioria dos consumidores prefere comprar um produto que esteja pronto para uso e, mais do que isso, que não lhe traga problema.

Dessa forma, se você não sabe como vender um carro usado, comece organizando todos os papéis ligados ao automóvel; reúna documentos como Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), Certificado de Registro de Veículo (CRV), comprovante de quitação de IPVA, multas e DPVAT (Seguro Obrigatório) e esteja apto a exibi-los durante o processo de negociação aos interessados.

2. Estude o mercado

A Tabela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) é a mais importante referência para os preços médios dos veículos no mercado nacional. Há ainda o Datafolha Veículos, que também pode subsidiar, de forma complementar, sua pesquisa para entender quanto vale, em tese, seu automóvel.

Entretanto, o que conta mesmo na hora H é conhecer bem a relação de forças no mercado (lei da oferta x procura): entre em um portal como a OLX, site que, sozinho, vendeu 20% dos veículos do país em 2016, use e abuse dos filtros de pesquisa e entenda, por fim, por quanto seus concorrentes estão vendendo carros semelhantes ao seu.

Sem referencial, você corre o risco de fixar valores fantasiosos e os resultados, provavelmente, não serão satisfatórios.

3. Venda direta ou através de concessionária?

Tudo tem seus prós e contras. Uma concessionária lhe garantirá mais segurança em todo o processo de aquisição, já que você está lidando com uma pessoa jurídica, que preza pela sua reputação no mercado.

O problema é que essa segurança tem um custo (e que é bastante alto): o preço de avaliação dos veículos nas concessionárias costuma ser cerca de 40% menor do que o valor real do mesmo automóvel no mercado.

Se você quiser, entretanto, uma saída mais barata, mas que ainda tenha a concessionária no negócio, é possível deixar o carro na concessionária em consignação.

Nesse caso, eles tentam vender o veículo a terceiros no seu lugar. A vantagem dessa estratégia é que o preço oferecido é cerca de 20% menor do que o valor de mercado, percentual melhor do que o citado acima.

Mas como vender um carro usado sem perder todo esse dinheiro? Comercialize diretamente, tirando os intermediários da jogada.

Essa é a melhor alternativa caso você tenha algum conhecimento no assunto, especialmente porque com o surgimento dos marketplaces de compra e venda de automóveis, é possível colocar um anúncio na internet e ter sua oferta visualizada por milhares de interessados em um único mês.

4. Esteja aberto a vencer o “leilão às avessas” do mercado de anúncios

Como vender um carro usado pode ser tão fácil para alguns e tão demorado para outros? A resposta depende de muitos fatores. Um deles é o nível de pressa de cada um.

Quem não tem muita urgência em fechar a venda, pode arriscar colocar um valor mais próximo ao de mercado e aguardar surgir uma proposta generosa (que pode, em alguns casos demorar muitos meses).

Caso a ideia seja fazer dinheiro com rapidez, o mais estratégico é reduzir o preço do veículo em pelo menos 10% em relação aos carros anunciados no mesmo canal. Com isso, seu anúncio aparecerá sempre no topo das buscas, aumentando o volume de visualizações mensais.

Formule também ações que soem atraente ao potencial comprador, como deixar o IPVA do ano já quitado, oferecer acessórios inclusos no preço do carro, garantir a revisão do ano para o novo proprietário. Você pode até não saber como vender um carro usado, mas perceberá que esse tipo de atitude faz toda a diferença na hora de fechar negócio!

5. Se for anunciar na internet, capriche no anúncio

Como vender um carro usado sem mostrar fotos na web? Pode ter certeza de que uma imagem vale mais do que mil linhas de blá-blá-blá! A foto tem a força persuasiva de aproximar o interessado do bem que você está vendendo, por isso, quanto mais fotografias, melhor! E se você tiver a opção de postar vídeos, não abra mão desse recurso.

Outra dica interessante de especialistas: inúmeras pesquisas do segmento confirmam que, nas fotos, alguns ângulos despertam mais atenção do que outros. Dê preferência, portanto, às fotos de frente, da traseira e da lateral do carro. Na foto lateral, é altamente recomendável tirar a foto na diagonal, de modo a abarcar o carro todo.

Se for tirar fotografias interna, ligue o motor. O universo de luzes de um painel sinaliza modernidade e tecnologia, além de facilitar a visão da quilometragem, informação de especial interesse de todos os compradores de carros. Computadores de bordo, câmbio automático e botões de piloto automático, se estiverem presentes em seu veículo, não podem ser esquecidos na fotografia.

6. Revise o carro na revenda

Revisar o carro pouco antes da venda mostra preocupação e cuidado do vendedor, detalhe que certamente conta pontos importantes. Faça um checkup geral de itens como óleo, freios, parte elétrica e pneus, exibindo a documentação comprobatória no momento de mostrar o automóvel.

Isso ajuda bastante no processo de convencimento.

7. Estimule o interessado a fazer o test drive

O test drive é a oportunidade de deixar o interessado sentir o carro, além de tirar dúvidas importantes com você. Além disso, essa é uma oportunidade de deixar o possível comprador sentir como seria ser dono do automóvel e essa perspectiva psicológica auxilia bastante no processo de venda.

Aprendeu como vender um carro usado? Então assine agora nossa newsletter e receba em seu e-mail dicas e conteúdos exclusivos sobre o universo automotivo! Até a próxima!

Compartilhar

About Author

Compartilhe sua opinião com a gente, através dos comentários.

Share This